ACIDENTE NA BR 290 DEIXOU VÁRIOS PASSAGEIROS FERIDOS

23 de maio de 2016

Dariano Moraes e Pablo Marzulo (Rádio Minuano)

Acidente por volta das 16:15, desta sexta-feira, (20/5) na Br 290 deixou vários passageiros do transporte urbano com ferimentos leves, mas poderia ter sido uma tragédia com vítimas graves ou fatais. Segundo relatos de passageiros, o ônibus da empresa Nogueira trafegava pela BR 290 em direção à zona Leste da cidade (Unipampa,Fórum,OAB), quando teve sua frente cortada por outro ônibus, que faz a linha para o interior do município (Rincão de São Miguel) que adentrou na pista por acesso secundário, a partir do bairro Medianeira. A Polícia Rodoviária Federal estava naquele ponto da via, no momento do acidente e chegou a sinalizar para o motorista do veículo que cortou a frente do coletivo carregado de passageiros, sentados e em pé. O motorista da Nogueira frenou o que pode e fez uma manobra para evitar que o veículo tombasse, mas acabou batendo a frente no outro veículo. Com a batida, o ônibus que acessou a pista, tombou no lado direito da BR sentido Alegrete/Rosário. O acidente ocorreu a poucos metros da ponte Osvaldo Aranha, sobre o rio Ibirapuitã. A reportagem da Minuano, chegou junto com a viatura dos bombeiros e presenciou o desespero de pessoas idosas e crianças que, com o impacto do acidente, bateram a cabeça, face e, em pánico começaram a chorar a agarradas umas as outras. Os que estavam em melhores condições emocionais, auxiliavam e tentavam acalmar os feridos, enquanto outros recebiam atendimento de primeiros socorros com a equipe dos bombeiros e Samu. Felizmente, todos tiveram leves e no ônibus que tombou viam o motorista mais um passageiro de idade mas não se feriram. A esta situação reacendeu a discussão sobre a restrição de tráfego pesado sobre a ponte Borges de Medeiros, no perímetro urbano. O empresário da Nogueira, João Antônio Nogueira disse que ingressaria com uma ação para que o Judiciário revisse sua decisão, pois, depois da ponte ter suportado uma das maiores enchentes da história da cidade em dezembro, último, demonstrou que não há motivos para manter a interdição da ponte Borges de Medeiros. Sua declaração corrobora com o laudo técnico elaborado por engenheiro especialista em estruturas de pontes. Outro questionamento do empresário, diz respeito a atuação da empresa com um caminhão guindaste de 18 toneladas, em cima da plataforma da ponte, enquanto ônibus que pesam 10 a 15 toneladas ficam impedidos de passar, onerando em tempo de viagem e prejuízo as empresa pelo aumento no trajeto, além do risco iminente de transitar na BR. Noutro momento, o empresário citou o atraso na obra da ponte pela empresa licitada, declarado, segundo ele, pelo próprio secretário de obras, Antônio Calovi, que a empresa estava terminando a obra de um ginásio em outra cidade. Noutro momento diz que teve de ceder um local para empresa se instalar porque esta não teria condições de pagar aluguel, trabalhando com poucos funcionários e escassos materiais. Outro questionamento diz respeito à prefeitura permitir que um ônibus de mais de 20 anos, esteja transitando com passageiros, quando exige uma frota de no máximo 10 anos para quem faz transporte urbano. Durante a reportagem, dois cavalos tiveram de ser espantados da rodovia pela reportagem da Minuano, outro problema, recorrente, que já causou acidentes, tanto na Br quanto no perímetro urbano, mas que a prefeitura não consegue resolver, apesar de alguns recolhimentos nos últimos dias, usando a estrutura de caminhão boiadeiro da PRF.

Apoio: Daniel Silveira.


Ao Vivo - Rádio Carazinho