Após pressão, governo destina verba ao presídio de Carazinho

29 de junho de 2016

Tags:Carazinho
Foto: Divulgação

Luiz Porto, diretor do Departamento de Gestão Estratégica Operacional da Secretaria estadual da Segurança Pública, participou de reunião-almoço na Associação Comercial e Industrial de Carazinho (Acic). O destaque do encontro ocorrido nesta terça-feira (28) foi o anúncio de uma verba de R$ 100 mil para o presídio local.

No último dia 10, 21 detentos fugiram da casa prisional. A situação motivou uma reunião da Justiça, Ministério Público, Prefeituras e Conselho da Comunidade com a Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) na semana passada, onde o órgão estadual foi duramente cobrado para que realizasse melhorias no Presídio Estadual de Carazinho (Pecar).


Para esta terça-feira, era esperada a presença do titular da Secretaria de Segurança, Wantuir Jacini. Porto compareceu em seu lugar. “Analisamos a demanda da Susepe e entendemos que era necessário o envio de recursos para o presídio. Depois dos trâmites burocráticos, R$ 100 mil serão encaminhados para obras na casa prisional”, promete o diretor da pasta.


A fuga dos 21 detentos ocorreu na Galeria A do Pecar. “A necessidade que temos é de reformas nas paredes e no teto desta Galeria. Vamos aguardar uma análise do setor de engenharia da Susepe no presídio. Desta fuga, doze ainda estão foragidos”, destaca o diretor do Pecar, Eberson Tapia.


Jocélio Cunha, presidente da Acic, ressaltou a importância dos investimentos. “Diante dos últimos acontecimentos relacionados a fugas no Pecar, esse valor vem ao encontro de um anseio que temos como empresários e como cidadãos, pois essas fugas resultam no aumento da criminalidade e da sensação de insegurança. Ficamos muito satisfeitos com esse esforço do governo do Estado, mesmo em meio à escassez de recursos, de investir em nossa segurança”, afirma.


Segurança

Porto falou sobre outros temas relativos à segurança, como o plano emergencial para o setor que será lançado nesta semana. De acordo com ele, as medidas serão tomadas de acordo com a disponibilidade financeira do Estado a fim de conter a crescente violência que atinge o RS. O diretor acrescentou os policiais aprovados em concurso serão chamados aos poucos.


Outro tema abordado por Porto é a realização de um Sistema Integrado de Segurança Pública. A ideia é englobar as informações e recursos dos Municípios na área. “Hoje os sistemas funcionam de maneira isolada, permitindo que a criminalidade tenha seguimento e continuidade. É preciso convergir esforços e ter uma doutrina única na resolução dos problemas da segurança pública”, destaca.(Diário AM)

Ao Vivo - Rádio Carazinho