Após quatro meses de obras, trecho da ERS 115 é liberado em Gramado

18 de maio de 2016

Foto: Twitter da EGR
O trânsito de veículos na ERS 115, entre Gramado e Três Coroas, foi liberado no final da manhã desta terça-feira. Com investimento de R$ 11,3 milhões, as empreiteiras contratadas pela Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) concluíram as obras de estabilização e recomposição dos kms 27 e 29 da rodovia. Os técnicos da EGR realizaram vistoria no trecho na tarde de segunda-feira. Em função das chuvas, a liberação do fluxo acabou atrasando. O asfaltamento e a sinalização da rodovia foram finalizados no final de semana. Equipes ainda trabalham na construção de canais para escoamento de água nas margens da estrada.
Em 135 dias de trabalho, a EGR utilizou sistemas de contenção de alta tecnologia nos dois trechos. No km 27, foi construída uma parede de “terramesh”, estrutura de telas preenchida com pedras, com 11 metros de altura, distribuídos em 150 metros da via. Já no km 29, foi necessário um muro com 13 metros de altura, ao longo de 100 metros de extensão da rodovia. O volume de escavação somou 55 mil metros cúbicos de aterro, o equivalente a 5.550 cargas de caminhão. No reaterro foram recolocados 35 mil metros cúbicos, ou 3.500 cargas de caminhão.
O excesso de chuvas de outubro de 2015 levou ao rompimento e desmoronamento da ERS 115 nos kms 27 e 29. Após identificar o problema, a EGR contratou o projeto e licitou a obra emergencialmente. Segundo o diretor-presidente da EGR, Nelson Lídio Nunes, os trabalhos só não iniciaram em dezembro em função da grande circulação de veículos na temporada natalina da Serra Gaúcha. Um desvio provisório foi implantado no trecho e o trânsito de veículos leves foi liberado até 4 de janeiro. Depois, as obras foram iniciadas e houve novo bloqueio. “Nossa maior preocupação sempre foi com os usuários. Nos propomos a fazer o máximo em menor tempo possível”, destaca Nunes.
Conforme o diretor, circulam mais de dois milhões de veículos ao ano – 5 mil por dia – na ERS 115, que é a principal ligação entre Gramado e o Vale do Paranhana. “A EGR se preocupou em fazer a obra com a maior rapidez possível, mantendo a qualidade da estrada”, afirma. 
Fonte:Correio do Povo 

Ao Vivo - Rádio Carazinho