Carazinhenses carregarão tocha olímpica em Passo Fundo

29 de junho de 2016

Tags:Carazinho
Foto Divulgação

A Tocha Olímpica dos Jogos do Rio 2016 foi acessa no Templo de Hera, na Grécia, em 20 de abril. O primeiro brasileiro a carregá-la foi o ex-atleta de vôlei, medalhista olímpico, Giovane Gávio. Depois de um trajeto no berço dos jogos, o símbolo passou pela Suíça, sede do Comitê Olímpico Interacional, e chegou ao Brasil em 3 de maio. Desde então, tem percorrido dezenas de cidades. A chegada ao Rio Grande do Sul será domingo (3), por Erechim, chegando no mesmo dia em Passo Fundo.

Embora Carazinho não esteja na lista de cidades que receberão a tocha, pelo menos três carazinhenses foram selecionados para fazer parte deste momento histórico no esporte. O estudante Rafael Salles foi selecionado através da promoção de uma famosa marca de refrigerante. Ele conta que teve de elaborar um texto com o tema “Nossa Amizade é Ouro”e falar sobre sua dedicação ao esporte. Praticante de boxe e rugby (deste último participando até de um a equipe em Passo Fundo), Salles conta que quando foi avisando de que estava apto, não acreditou de início. “O Comitê Olímpico mandou um e-mail e também recebi uma mensagem no Whatsapp da empresa promotora da promoção. Primeiro pensei que eu tinha sido selecionado para uma segunda etapa. Somente depois me dei conta de que já era a seleção final e fiquei muito feliz”, conta ele, que ainda não sabe detalhes de como vai ser o revezamento, mas já foi informado de que seu trajeto será na Avenida Brasil. “Sei que são 35 pessoas que participarão, então creio que cada um terá de percorrer entre 200m e 400m com a tocha”, acrescenta.


Na visão do estudante, a participação no revezamento será um momento único. “Embora Carazinho não receberá a tocha, nossa cidade terá representantes e acredito que isso contagie mais pessoas com o espírito olímpico”, opinou. Por outro lado, o jovem conta que ele tem recebido críticas. “Algumas pessoas questionam o fato de termos olimpíadas em meio a um momento de turbulência em nível de país. Converso com outras pessoas, em outras partes do país que também foram selecionadas para o revezamento e elas contam coisas parecidas. Recebi críticas até em função daquele episódio envolvendo a onça no Amazonas, como se eu concordasse com o desfecho que o caso teve. Na minha visão, as olimpíadas devem ser encaradas como algo positivo, afinal, a tocha e os próprios jogos são símbolos de paz”, relatou.


As mais de 1000 conquistas de Anselmo Souza reconhecidas

Dedicado ao atletismo desde a juventude, Anselmo Souza coleciona 1313 troféus e medalhas. Os 72 anos não é empecilho para o mecânico parar de competir e seguidamente consegue marcas que lhe rendem subidas ao pódio. Em entrevista à Rádio Diário AM 780Khz, ele não escondeu a emoção por ter sido selecionado. “O convite partiu do Ministério do Esporte. Recebi uma ligação de Brasília na segunda-feira (27) quando também pediram uma série de documentos, que foram providenciados pelo meu filho Felipe. Eu sou uma das 12 mil brasileiros que terá este privilégio. É algo raro, pois não sabemos quando um momento parecido ocorrerá novamente”, contou, crente que tenha sido indicado por alguém.


Souza também será um dos três revezadores de destaque que participarão da Cerimônia no Parque da Gare. Para ele, a representação do esporte carazinhense no evento pode ser encarada como uma homenagem a todos os atletas e desportistas do município, de todas as modalidades, não somente do atletismo. “De todas as corridas que participei, esta é uma das mais importantes, não somente para mim, mas para todos os carazinhenses. Carazinho estará lá, por isso é uma honra”, comentou o atleta que percorre pelo menos 400Km por mês entre competições e treinos.


Professor também carregará o símbolo

A escolha do professor de educação física Claudio Borges, que trabalha na Escola Estadual Érico Verrísmo, foi parecida com a de Rafael Salles. Ele também participou da promoção da multinacional, no entanto, teve de encaminhar uma fotografia, ainda no ano passado, em que aparece jogado futebol com os alunos. “A minha foto foi escolhida e logo eles começaram a me solicitar mais informações. A expectativa é grande, pois é um momento histórico. A tocha tem uma simbologia muito importante diante dos jogos, uma história que vem desde a Grécia antiga”, refletiu.


Quando resolveu participar, sabia que iria competir com milhares de brasileiros que tinham o mesmo desejo. “Eu tinha esperança, mas sabia que seria bastante difícil porque é bastante competitivo. Fiquei muito feliz por ser uma das pessoas escolhidas para este momento especial”, relatou ele, que dedica boa parte da vida trabalhando esporte com estudantes.(Diário AM)

Ao Vivo - Rádio Carazinho