Em noite de grande atuação de Alisson, Inter empata em 0 a 0 com o Figueirense

19 de junho de 2015

Em uma partida de fraco futebol, o Inter empatou em 0 a 0 diante do Figueirense, em Florianópolis, e segue sem vencer fora de casa no Brasileirão. Sem velocidade e com muitos erros de passe no meio de campo, o time de Diego Aguirre foi bastante pressionado pelos catarinenses e não fosse a atuação destacada do goleiro Alisson o placar da partida no Orlando Scarpelli poderia ter sido diferente.


O Inter teve dificuldades no primeiro tempo. Sem D’Alessandro, Sasha, Valdívia, Nilmar e as demais estrelas, o time de Diego Aguirre tornou-se comum. O vento forte bem que prejudicou, é verdade. Mas erros bobos em trocas de passes curtos no meio de campo colorado chamaram atenção em Florianópolis. Anderson não foi o Anderson que o torcedor se acostumou a ver até a suspensão. Posicionado ao lado de Rodrigo Dourado, em vez de arrancar com a bola dominada e iniciar as principais jogadas do ataque gaúcho, o camisa 8 manteve-se fixo atrás da linha do meio e coube a Jorge Henrique, pela esquerda, avançar para tabelas com Lisandro López e Rafael Moura, que deixavam a área para fazer o pivô na intermediária. Alex arriscou alguns chutes de fora da área, mas se escondeu do jogo atuando aberto pela direita.


O Figueirense aproveitou que não era atacado e tentou levar perigo ao gol de Alisson _ o nome da partida no Orlando Scarpelli. Aos três minutos, Ricardinho obrigou o goleiro do Inter a ótima defesa em um chute rasteiro, à direita. Aos 35, Elias recebeu cruzamento da direita, mas a tentativa morreu nas mãos de Alisson. Aos 42, Leandro Silva chutou cruzado e assustou a defesa do Inter.


– Temos de parar de errar passes bobos no meio e dar contra-ataque para o adversário – avaliou Alisson à saída do intervalo.


Na etapa final o Inter acostumou-se ao vento e passou a tocar a bola no chão. Os erros de passe diminuíram em relação ao primeiro tempo, mas faltava velocidade ao time de Diego Aguirre. O uruguaio apostou em Vitinho e Taiberson para acabar com este problema. O camisa 21 correspondeu, mas lhe faltava objetividade. Em duas oportunidades, pela direita, Vitinho venceu o defensor, mas falhou na hora do cruzamento. 


Já Taiberson pouco fez. Pelo lado do Figueirense, houve pressão em cruzamentos e chutes de fora da área. Aos 23, Clayton dominou e chutou cruzado. Aos 33, um contra-golpe do time catarinense foi impedido por Ernando. O empate em Florianópolis ficou barato para o Inter.


Fonte: Zero Hora

Ao Vivo - Rádio Carazinho