Estiagem interfere nas vendas de animais para a Temporada de Outono

29 de abril de 2020

A Temporada de Outono da Pecuária Gaúcha, que tradicionalmente ocorre nos meses de abril e maio, foi comprometida pela pandemia do Coronavírus (Covid-19). Leilões e exposições que ocorreriam no período foram canceladas e alguns remates passaram para o módulo virtual, com vendas pela TV e pela Internet. Entretanto, na avaliação do leiloeiro rural e diretor da Trajano Silva Remates, Marcelo Silva, a seca que atinge o Rio Grande do Sul será mais danosa aos negócios.

Para o especialista, a situação no Estado se difere ao resto do Brasil em termos de comercialização devido à estiagem, que também tem reflexos na pecuária gaúcha. Inclusive já existe uma queda no valor de venda dos animais. “Se vendeu terneiro a R$ 8,80 e agora está se vendendo a R$ 6,80. Além disso registramos uma queda no boi gordo. A nossa situação é pior que do resto do Brasil por estar com a seca aliada. A reposição, venda de terneiros entre outros, ficará comprometida”, destaca.

Foto: Trajano Silva Remates/Divulgação

Sobre a venda de forma virtual, Silva avalia que será uma saída para o momento, já que é uma ferramenta muito usual no Brasil Central no que diz respeito à comercialização de gado. Um indicativo de adaptação do público vem sendo os remates virtuais do Cavalo Crioulo, que estão realizando bons negócios. “Temos os resultados feitos até o momento com todos dentro ou acima das nossas expectativas. Está surpreendendo positivamente”, observa.

Silva finaliza acrescentando que se houver o retorno das chuvas ao Estado em breve a situação poderá ser amenizada no mercado. ( AgroEffective )

Ao Vivo - Rádio Carazinho