Fronteira Oeste e Região Central foram as mais atingidas pelo Temporal

3 de novembro de 2016

Tags:Uruguaiana
Praticamente todo o Rio Grande do Sul registrou problemas em função do temporal durante a madrugada desta quarta-feira, feriado de Finados, de acordo com a Defesa Civil do Estado. Os principais danos foram provocados por fortes ventos e queda de granizo, que atingiram alguns pontos.
A estimativa é de que 180 mil pessoas tenham tido o seu fornecimento de energia prejudicado. Segundo a Defesa Civil, as regiões mais prejudicadas foram a Fronteira Oeste e a Central.
Municípios como Cacequi, Alegrete e Barra do Quaraí, que registraram destelhamentos, já estão recebendo o apoio da Defesa Civil na distribuição de lonas. Alegrete teve estradas vicinais obstruídas pela queda de árvores e técnicos estão no local para liberação da via.
Em Santa Maria, na Região Central do Estado, as rajadas de vento ultrapassaram os 100 km/h, segundo registro da Base Aérea de SM (BASM). No município, o número de casas destelhadas subiu 60 para 100.
Há também prejuízo em lavouras de fumo em Dom Feliciano. Já em São Sepé e Espumoso, os danos estão concentrados na área urbana, com casas destelhadas. No município de Cachoeira do Sul, 70 famílias foram atingidas, mas não há desabrigados. Também há um grande número de árvores caídas em toda a cidade.
Em Pelotas, onde registra-se 83mm de chuva acumulada, há pontos de alagamento em alguns bairros, e uma família precisou sair de casa. Em toda a Região Sul o vento foi forte durante toda a madrugada, mas nos municípios atingidos no fim de semana, como Santa Vitória do Palmar, São Lourenço e Rio Grande, os danos não foram significativos.
Os fortes ventos e a chuva na madrugada também provocaram a queda de no mínimo duas árvores em Porto Alegre. Na zona Norte, uma caiu sobre um veículo na rua Carlos Von Koseritz, quase na esquina com a rua Américo Vespúcio. Em função da dimensão da árvore, que bloqueou completamente a via, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), precisou interromper o trânsito no local. Já na zona Sul, foi registrada a queda de uma árvore na avenida Guaíba e outra na Cavalhada. Houve ainda relatos de fortes rajadas de vento em vários pontos da cidade, que elevaram a preocupação dos moradores.
A instabilidade no tempo trouxe ainda outros transtornos. No início da tarde, apenas a CEEE tinha mais de 12 mil clientes ainda sem fornecimento, sendo a maioria na Região Metropolitana. Segundo o Metroclima, foram registradas temperaturas mais baixas em Porto Alegre. No bairro São João, no início da tarde, fera registrada a temperatura mais alta na cidade, 19,7 graus. A menor era 16,1 graus, no bairro Glória. 
Conforme a Metsul Metereologia, não há mais risco de temporais no Rio Grande do Sul. O tempo deve firmar em grande parte do Estado até o fim do dia. (Correio do Povo)

⚠️ATENÇÃO | Não há mais risco de temporais no Estado. Perspectiva é do tempo firmar em grande parte do RS até o fim do dia.

VENTO | Rajadas máximas registradas:

Soledade: 115 km/h

Mostardas: 112 km/h

Uruguaiana: 102 km/h

Alegrete: 94 km/h

Bento Gonçalves: 94 km/h

VENTO | Rajadas máximas registradas:

Soledade: 115 km/h

Mostardas: 112 km/h

Uruguaiana: 102 km/h

Alegrete: 94 km/h

Bento Gonçalves: 94 km/h

VENTO | Rajadas máximas registradas:

Carazinho: 90 km/h

Ibirubá: 89 km/h

Serafina Correa: 88 km/h

Dom Pedrito: 87 km/h

São Gabriel: 85 km/h

VENTO | Rajadas máximas registradas:

Carazinho: 90 km/h

Ibirubá: 89 km/h

Serafina Correa: 88 km/h

Dom Pedrito: 87 km/h

São Gabriel: 85 km/h

VENTO | Rajadas máximas registradas:

P. Fundo: 84 km/h

S. Maria: 83 km/h

S. L. Gonzaga: 82 km/h

L. Vermelha: 81 km/h

Tupanciretã: 81 km/h

Ao Vivo - Rádio Carazinho