Judoca Rafaela Silva fatura o primeiro ouro do Brasil na Rio-2016

9 de agosto de 2016

Foto: Jack Guez 
E coube a uma carioca oriunda de uma favela conquistar o primeira medalha de ouro para o Brasil nos Jogos olímpicos do Rio de Janeiro. A judoca 24 anos faturou o ouro na categoria leve, nesta segunda-feira e, de quebra, tornou-se a primeira brasileira campeã mundial e olímpica. Ambas as conquistas foram em solo carioca.
Foi a primeira medalha do Brasil no judô, o esporte que mais conquistou pódios olímpicos para o país, nos Jogos do Rio de Janeiro. A modalidade retoma as lutas nesta terça-feira, com o peso meio-médio. Mariana Silva (63kg) e Victor Penalber (81kg) serão os representantes do Brasil.
Lutando em casa, a judoca oriunda de projetos sociais começou com tudo: ippon com 45 segundos de luta sobre a alemã Miryam Roper. E ela manteve o embalo no segundo confronto, com a sul-coreana Jandi Kim, vencendo com um waza-ari de vantagem.
As quartas de final reservaram para ela o reencontro com a húngara Hedvig Karakas, para quem havia perdido em Londres-2012. No Rio, entretanto, o resultado foi outro. Novamente com um waza-ari Rafaela carimbou o passaporte para a semifinal.
Na luta valendo vaga na decisão, a carioca encarou Corina Caprioriu. Foi a luta de desempate. Até então, elas já tinham se enfrentado seis vezes, com três vitórias para cada. Com apoio da torcida, Rafaela conseguiu um novo waza-ari, mas com ares mais dramáticos. Apenas no golden score a brasileira pontuou. A “prorrogação” no judô ainda tem um elemento mais dramático, pois qualquer ponto define o combate. Com mais de três minutos de tempo-extra, Rafaela foi atacada, mas conseguiu o contragolpe e derrubou a rival.
A final foi contra a mongol Sumiya Dorjsuren, contra quem até então Rafaela havia perdido quatro dos cinco confrontos. No mais importante, porém, a vitória veio. Com um waza-ari ainda no começo, ela segurou o ímpeto da adversária até o cronometro zerar e, aí sim, mais do que nunca ela gritar: é campeã!
Superação
Rafaela Silva chega sua consagração olímpica quatro anos depois de um trauma e tanto nos Jogos de Londres. Eliminada na primeira luta ao ser desclassificada, a judoca foi ofendida por internautas via Twitter horas depois. Desde então, ela faturou o título mundial no Rio de Janeiro e, agora, o ouro olímpico. Além de outras diversas medalhas no circuito internacional.(Correio do Povo)

Ao Vivo - Rádio Carazinho