NESTA PÁSCOA SUPERMERCADOS GAÚCHOS PROJETAM QUEDA DE 7,1% NAS VENDAS DE OVOS DE CHOCOLATE

16 de fevereiro de 2016

foto: André Vicente
A crise deve afetar as compras de Páscoa este ano. No Rio Grande do Sul, os consumidores deverão apostar em caixas de bombons e em chocolates menores, como barras e tabletes, para encorpar a sua cesta de Páscoa em 2016, segundo um estudo promovido pela Agas (Associação Gaúcha de Supermercados). Os dados da análise foram apresentado nesta terça-feira (16) pelo presidente da entidade, Antônio Cesa Longo.
Durante os meses de janeiro e fevereiro, foram ouvidos 20 supermercadistas de todo o Estado e de empresas de diferentes portes, para detectar tendências, prognósticos e os números da Páscoa deste ano, que já começa a ser trabalhada nas 4 mil lojas de supermercado em todo o território gaúcho. Conforme estimativas da Associação, nove em cada dez consumidores vão comprar seus chocolates para a Páscoa em lojas do setor.
Queda
O levantamento mostra que, pela primeira vez em 12 anos, os supermercadistas gaúchos preveem uma queda na venda nominal de ovos de chocolate para a data, na casa dos 7,1%. Por outro lado, os empresários do segmento projetam um crescimento de 8,3% na comercialização de caixas de bombons, e de 12,1% na de chocolates em barra e em tabletes. “A Páscoa é a segunda melhor data em vendas para o setor, atrás apenas das festas de fim de ano. O endividamento das famílias, o aumento de contas regulares como energia e combustíveis, o crescimento do desemprego e a alta dos preços dos chocolates contribui para um cenário de presentes menores, mas de confraternização em família e valorização da data”, destaca Longo.
Segundo o supermercadista, entre os ovos de chocolate, a procura dos consumidores será maior por itens menores e mais baratos. Pensando nisso, a indústria reduziu os tamanhos de algumas marcas de ovos nesta Páscoa. “Ainda assim, os fabricantes investiram na variedade do mix, e haverá ovos para todos os bolsos e todos os gostos”, salienta o dirigente. Os ovos “premium”, mais caros e adquiridos majoritariamente para presentear, deverão representar cerca de 12% das vendas.
Longo sublinha ainda que o calendário de 2016, com a ocorrência da Páscoa mais cedo que em outros anos, impulsiona as vendas para a última semana que antecede a data, dia 27 de março. “O calor dificulta o armazenamento em casa dos chocolates que serão dados de presente, ensejando que os consumidores deixem para comprar nos últimos dias. No entanto, é importante que os gaúchos se programem e antecipem suas compras para que consigam garantir o ovo de Páscoa desejado e pesquisar preços. Na última hora, certamente não encontrarão as marcas mais cobiçadas”, sugere o presidente.
Ao todo, os supermercados do RS vão comercializar 8,5 milhões de ovos de chocolate, que deverão alavancar um faturamento de 120,6 milhões de reais para o setor. Entre os bombons, a estimativa da Agas é de que pelo menos 6,4 milhões de caixas sejam comercializadas para a data, agregando ao faturamento do setor mais 33 milhões de reais. “Este é o tradicional presente de última hora”, lembra Longo.
Representatividade
De acordo com os supermercadistas ouvidos pela Agas, o peso das vendas de produtos típicos de Páscoa no faturamento dos supermercados gaúchos será de 12% no total do mês de março. Os gaúchos deverão absorver 12% dos ovos de chocolate produzidos em todo o Brasil.
Empregos temporários
A data irá gerar cerca de 1,1 mil empregos temporários no RS. 90% destas vagas serão criadas pela indústria, em cargos como operador de logística, montador, promotor de vendas e estoquista. Nenhum supermercadista entrevistado apontou possibilidade de contratação de temporários para a ocasião.
Fonte:O SUL

Ao Vivo - Rádio Carazinho