Nota Fiscal Gaúcha ultrapassa 4,6 milhões de reais distribuídos a entidades em 2016

25 de julho de 2016

Foto: João Alves
Além da premiação em dinheiro que é distribuída diretamente aos contribuintes por meio dos sorteios mensais, o programa da NFG (Nota Fiscal Gaúcha) fechou o primeiro semestre de 2016 com R$ 4,69 milhões repassados a entidades sociais. São ao todo 1.877 instituições beneficiadas desde o início do ano pelo programa nas áreas da saúde, assistência social e educação a partir de uma pontuação gerada pela indicação dos próprios consumidores. Em 2015, o volume de recursos repassados às entidades passou de R$ 10 milhões, contemplando 1.852 instituições.
Com 1.177 entidades, a educação é o segmento com o maior número de instituições contempladas nestes primeiros seis meses e receberam como apoio financeiro do Estado um total de R$ 2,01 milhões. Um exemplo é o Instituto Estadual de Educação Erico Verissimo, de Três Passos, que em 2015 recebeu R$ 37,8 mil da NFG. O dinheiro foi aplicado em melhorias das instalações físicas da escola, que atende 1.100 estudantes. As obras envolveram reformas de salas de aula e dos banheiros, assim como a construção de passeios e uma cobertura na porta de entrada.
Parte da verba foi canalizada para a aquisição de material esportivo e equipamentos como quatro climatizadores e um microcomputador. Para a diretora do instituto, Margarete Schweigert, o programa vem sendo um grande parceiro da escola. “Participamos há vários anos, o que possibilitou a qualificação de nosso ambiente escolar, tornando os espaços mais propícios ao processo de ensino aprendizagem”, salientou. Em 2016, a escola recebeu outros R$ 9,9 mil.
Mais qualidade de vida às pessoas com deficiência
Embora com diferença no número de organizações contempladas neste período, os setores da saúde e da assistência social foram atendidos com o mesmo volume de recursos: R$ 1,34 milhões cada. Na área social, foram 549 entidades com o apoio do NFG, ao passo que na saúde foram 151, melhorando as condições de atendimento de pacientes em hospitais filantrópicos e santas casas.
Uma destas instituições realiza em média 7.700 atendimentos ao mês e tem nos recursos repassados pela NFG uma das suas fontes de custeio. Trata-se da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) de Porto Alegre, que desde o ano passado recebeu R$ 110 mil.
A AACD participa do programa desde 2013 e com os recursos foram adquiridos colchonetes, micro-ondas, televisores e persianas para a Sala de Convivência, espaço utilizado por pacientes e familiares para descanso, alimentação e espera. O refeitório utilizado pelos mais de 110 colaboradores também recebeu melhorias, como novas mesas, geladeiras e janelas.
Outra referência na capital em termos de atenção social aos que mais precisam de ajuda é a Sociedade Humanitária Padre Cacique. Ao longo do ano passado, o asilo recebeu perto de R$ 60 mil para despesas das mais diversas, desde equipamentos, roupas de cama, produtos de higiene e até mesmo auxiliar no pagamento da folha dos servidores que acolhem os idosos. “O asilo vive de doações e os valores repassados são inestimáveis”, resume o diretor-geral da instituição, Milton Costa.(O SUL)

Ao Vivo - Rádio Carazinho