Projetos de ferrovias para o Estado vão demorar para ocorrer, diz presidente do BNDES

16 de junho de 2015

RS, que receberá 3% de investimentos do Programa de Investimentos em Logística, não receberá recursos para ferrovias

"Estudos demorarão um pouco mais porque se trata de desenvolver projetos que concorrem com a malha rodoviária", diz Coutinho. Foto: Divulgação/BNDES

“Estudos demorarão um pouco mais porque se trata de desenvolver projetos que concorrem com a malha rodoviária”, diz Coutinho. 
Foto: Divulgação/BNDES
Em entrevista a rádios de todo o país nesta manhã, através da TV NBR, o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse que projetos de ferrovias para o Rio Grande do Sul vão demorar a ocorrer. Dos quase R$ 200 bilhões que o banco concederá de financiamentos para malhas rodoviárias, aeroportuárias, ferroviárias e estruturas para portos, a maior parcela será para ferrovias. No entanto, o Rio Grande do Sul, que receberá 3% do montante, acabou ficando de fora dos investimentos de ferrovias.
Coutinho apontou que o estado gaúcho apresenta uma malha rodoviária consideravelmente importante e que ainda apresenta alguma eficiência à produção. Com isso, os investimentos ao Rio Grande do Sul serão destinados principalmente ao setor, para que respostas a curto prazo possam ser dadas à logística gaúcha.
“O Rio Grande do Sul tem uma malha rodoviária bastante importante e é um estado exportador de grãos, de vários produtos relevantes, e terá investimentos em rodovias de forma a produzir resultados a curto prazo. Haverá, também, no futuro, um planejamento de reforço às rodovias. E nesse caso, os estudos demorarão um pouco mais porque se trata de desenvolver projetos que concorrem com a malha rodoviária. Então, há aqui, uma questão, digamos, histórica”, disse o presidente do BNDES.
Os investimentos do banco nacional, de R$ 198,4 bilhões, são referentes ao Programa de Investimentos em Logística do governo federal. O banco vai financiar até 70% do valor dos projetos de rodovias, portos e aeroportos. E até 90% dos projetos ferroviários. A previsão é que de 2015 a 2018 sejam investidos R$ 69,2 bilhões no projeto. E, a partir de 2019, R$ 129,2 bilhões.
O Rio Grande do Sul conseguiu garantir com o governo federal R$ 5,7 bilhões em investimentos em logística. Serão R$ 3,2 bilhões em rodovias federais e R$ 2,5 bilhões destinados ao Aeroporto Internacional Salgado Filho.
FONTE: Rádio Guaiba

Ao Vivo - Rádio Carazinho