Sem acordo, greve dos servidores do Detran é mantida no Rio Grande do Sul

13 de julho de 2016

Foto: Sindet
A greve dos servidores do Detran-RS (Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul) deverá prosseguir pelo menos até esta quinta-feira. A Smarh (Secretaria da Modernização Administrativa e dos Recursos Humanos) do governo do Estado recebeu, nessa terça-feira, da direção do Sindet (Sindicato dos Servidores do Detran-RS), as reivindicações dos grevistas e uma proposta de reestruturação do órgão elaborada pelos servidores.
Uma nova reunião foi marcada para a quinta-feira, às 14h, para continuar as discussões, conforme o Executivo estadual. Entre outras reivindicações, a categoria pede reposição de 26,75% das perdas salariais do período de julho de 2012 a maio de 2016; efetivação imediata das promoções e progressões; implementação de auxílio-refeição de 19 reais por dia, sem copartipação e para todos os servidores; estruturação dos locais de aplicação de exames de prática de direção veicular, a fim de qualificar o atendimento ao público; sede própria para a autarquia; e desenvolvimento de projetos de reestruturação do Detran-RS.
Segundo o Sindet, apenas parte de uma das demandas “obteve aceno favorável pelo governo: a efetivação das progressões”. Depois de avaliar a contraproposta do Executivo gaúcho, os grevistas rechaçaram a oferta e decidiram continuar com a paralisação. O secretário da Smarh, Raffaeli Di Cameli, declarou que a reivindicação por qualificação do pessoal e dos serviços realizados pela autarquia no Estado é importante. “No entanto, a questão da reposição salarial é inviável, por estarmos no limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal, em um momento em que o restante do funcionalismo estadual está recebendo seus vencimentos parcelados”, afirmou o secretário, de acordo com informações da assessoria de imprensa do Palácio Piratini.
Conforme estimativa da direção do sindicato, aproximadamente 80% dos servidores da autarquia aderiram à greve. Além dos trabalhadores lotados em Porto Alegre, também há grevistas nas regionais de Santa Maria, Pelotas e Santo Ângelo.(O SUL)

Ao Vivo - Rádio Carazinho