Transparência e Prestação de Contas são Pilares das Relações Familiares segundo Especialista

11 de outubro de 2016

Tags:Brasil
Após a crise que atingiu o setor econômico e político brasileiro e, diante
das incertezas de quais reflexos tudo isso causará, os empresários estão à
procura de novas estratégias, capazes de driblar esse momento de adversidade,
buscando desenvolvimento e o tão esperado equilíbrio da economia. Contudo, mesmo
diante de todo este cenário não favorável, vimos com bons olhos o setor do
agronegócio, que se destaca por permanecer em crescimento e com números e
estatísticas cada ano mais favoráveis, além de ser o responsável pelo saldo
positivo da Balança Comercial.
Em 2015, o Produto Interno Bruto (PIB) da agropecuária cresceu 1,8%, porém a
média anual de crescimento do PIB agropecuário, nos últimos 19 anos, tem sido de
3,6%. Em se tratando de um ano de dificuldade econômica como foi 2015, o
percentual de 1,8% é comemorado pelo setor, visto que os demais setores da
economia – Indústria e Serviços – tiveram queda no mesmo período. Diante destes
números e com o Agronegócio em evidência, as empresas rurais têm buscado, cada
vez mais, implantar a governança familiar em suas propriedades para auxiliar na
organização e aprimoramento dos controles de suas atividades para que possam,
com segurança, tomar as decisões corretas e expandir seus negócios.
Atualmente, governança familiar é um dos temas em evidência no Brasil, quando
se fala em eficiência e transparência da gestão de uma empresa, pois trata, em
linhas gerais, das melhores práticas para administrar um negócio. Os conceitos
de boa governança tornaram-se fundamentais para avaliar os riscos e o retorno de
um investimento. Dos quatro pilares da governança, transparência e prestação de
contas ficam em evidência, devido à importância de todos os envolvidos terem
conhecimento das informações, bem como de saberem como estão as contas da
empresa e seu equilíbrio financeiro. No entanto, para que essa transparência e
prestação de contas fique cada vez mais evidente e seja compartilhada entre
todos os sócios da empresa, inserimos ao processo os controles gerenciais, que
auxiliam no controle de custos, análise e capacidade de investimentos e
endividamento, organização de fluxo de caixa, bem como apresentam indicadores de
eficiência das atividades, facilitando a interpretação dos sócios sobre os
números do negócio.
Os controles gerenciais são importantes não só para a análise do negócio e a
tomada de decisões de expansão ou redução de áreas, mas sim para mostrar aos
sócios como está a saúde do negócio, bem como se o resultado aferido durante a
safra comporta todos os investimentos a serem realizados, retiradas mensais de
sócios ou compromissos financeiros assumidos em outras safras. A partir e,
aliado, a estes controles, deixamos regrado e claros os princípios da
governança, tendo transparência nos números e prestando contas aos sócios
atuantes ou não no negócio.

Pensando neste processo e em seus benefícios, onde podemos citar a criação de
controles e rotinas administrativas, estabelecimento de relação profissional
entre pais e filhos e preparação da sucessão do negócio, a Safras & Cifras,
empresa atuante a 26 anos no setor do agronegócio e especializada em governança
familiar e controle gerenciais, evidencia a importância dos controles e
organização familiar para que as propriedades, assim como sócios, herdeiros e
sucessores tenham cada vez mais sucesso e longevidade em seus negócios. (Miriam Bosenbecker/ Safras e Cifras)

Ao Vivo - Rádio Carazinho