VENDAS DO COMÉRCIO BRASILEIRO EM 2015 TEVE A MAIOR QUEDA DA HISTORIA

16 de fevereiro de 2016

Foto: Banco de Dados
Com a economia em recessão, a inflação em alta e a oferta restrita de crédito, as vendas do comércio varejista brasileiro tiveram queda de 4,3% no ano passado, segundo dados divulgados nesta terça-feira (16) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Trata-se do pior desempenho desde 2001, início da série histórica. O último ano em que o varejo havia apresentado queda nas vendas foi 2003 (-3,7%).
Somente em dezembro, as vendas do varejo recuaram 2,7% em relação a novembro, apesar do Natal. Também foi o pior desempenho para o mês em toda a série histórica. A atividade que mais pesou no resultado do varejo em 2015 foi a de móveis e eletrodomésticos, com queda de 14%, a maior desde 2001. O setor é mais dependente do crédito e da confiança das famílias.
As quedas mais expressivas, além desse setor, partiram de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-2,5%), tecidos, vestuário e calçados (-8,7%) e combustíveis e lubrificantes (-6,2%).
Outros setores também tiveram taxas negativas, mas pesam menos no cálculo geral do varejo. Entre essas atividades, estão livros, jornais, revistas e papelaria (-10,9%); equipamentos e material de escritório, informática e comunicação (-1,7%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (-1,3%).
O único setor que não sofreu queda nas vendas foi o de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, que cresceu 3% em 2015. O resultado de 2015 interrompeu um ciclo de uma década de crescimento do varejo. Foram 11 anos de alta nas vendas, a uma taxa de 7% ao ano.

Fonte:O SUL

Ao Vivo - Rádio Carazinho