Vôlei feminino perde invencibilidade com eliminação dolorosa contra China

17 de agosto de 2016

 Foto Kyrill Kudruatsev 
A campanha perfeita do Brasil no vôlei feminino caiu da pior maneira possível, diante do poder defensivo da China nesta terça-feira. Após cinco sets, as bicampeãs viram escapar o sonho de conquistar sua terceira medalha de ouro consecutiva em Olimpíadas, nos Jogos do Rio.
Campeãs em Pequim-2008 e Londres-2012, as brasileiras saíram na frente nesta terça-feira e dominaram o primeiro set. Mas a China não se intimidou e venceu o confronto por três sets a dois, parciais de 15-25, 25-23, 25-22, 22-25 e 15-13.
O primeiro set foi tão tranquilo que deu a ideia de que o Brasil voltaria a vencer com facilidade. A seleção abriu 8-2 e não tirou o pé do acelerador. Fabiana, com seis pontos, e Fernanda Garay, com cinco, foram os destaques da seleção, que venceu por 25-15.
No segundo set, o jogo mudou. O Brasil chegou a ter 11-6 no placar, mas a equipe asiática buscou o empate em 11-11, o que obrigou José Roberto a pedir tempo. O equilíbrio prosseguiu, mas o Brasil chegou a ter 20-17. Com um jogo de muita paciência, mais uma vez as rivais conseguiram empatar em 21-21 e o técnico brasileiro pediu novo tempo. Com 23-23 no placar, as chinesas conseguiram trabalhar bem os últimos pontos e fecharam a parcial em 25-23.
O terceiro set seguiu com a partida equilibrada. Com 7-7 no placar, Zé Roberto pediu um desafio em uma bola chinesas considerada dentro. Quando o vídeo mostrou que a bola havia sido fora, dando razão ao técnico brasileiro, a torcida vibrou, percebendo que o jogo era muito mais complicado do que se previa. Com 12-11, Fê Garay fez uma defesa incrível, Dani Lins levantou e Natália soltou o braço. No 13-13, José Roberto colocou Jaque em quadra e ela anotou dois pontos em sequência, mas a China seguia encostada no placar.
E as chinesas viraram o marcador, para chegar a 21-18, com ótima atuação de Qiuyue Wei. A torcida começou a gritar “eu acredito”, mas as adversárias administraram a vantagem e fecharam o set em 25-22. Pela primeira vez na Olimpíada o Brasil estava atrás no placar, resultado de um grande jogo da China, com grande volume de defesa, mas também dos erros cometidos pela seleção.
O nervosismo da equipe ficou claro no início do quarto set. Com erros de recepção em dois saques de Ni Yan, a China abriu 7-5, José Roberto pediu tempo e a torcida começou a gritar “Brasil, Brasil”. As jogadoras começaram a vibrar em cada ponto e a torcida entendeu o momento. Mas do outro lado, as chinesas permaneciam em vantagem, até um ponto de saque de Fabiana que empatou o set em 14-14.
Um bloqueio de Juciely, que entrou no lugar de Thaisa, deixou o Brasil em vantagem de 16-14. Com o Maracanãzinho transformado em caldeirão, a equipe brasileira mostrou que não é bicampeã olímpica por acaso. A seleção administrou a vantagem e fechou o set em 25-22, levando a partida para o tie-break.
O quinto set seguiu equilibrado até o 7-7, quando a China abriu dois pontos de vantagem, mas com um ataque de Fê Garay o Brasil voltou a empatar em 10-10. Os erros, no entanto, continuaram, com erros de saque em sequência de Dani Lins e Sheilla, o que deixou as chinesas com 14-12 no placar. Fabiana anotou o 13º ponto do Brasil, mas as chinesas não se abalaram com a pressão e fecharam em 15-13. Desta maneira, o sonho do título em casa chegou ao fim.(Correio do Povo)

Ao Vivo - Rádio Carazinho